EXPERIÊNCIA CURIOSA

Frieda Friesen

   

    Nos ainda primeiros anos, que comecei meu trabalho na área de terapia corporal, conheci “Menino”, que já estava com 1 ano e 8 meses, mas não tinha sustentação. Era todo molenga, não tinha firmeza nas pernas, nem coluna. Não sentava direito e tinha expressão de dor em seus pequenos olhos. Perguntada se poderia fazer algo por ele, senti meu coração se aquecer de compaixão, bem como também insegurança e medo. Mas sabia o que podia fazer. Eu trabalharia em sua musculatura e nervos, aliviando pelo menos sua dor, tentando lhe trazer qualidade de vida.

     Como não havia expectativa nenhuma de ajuda clínica, começamos nosso trabalho: os pais todos os dias em casa e eu cuidando dele o mais seguido possível. Tinha aprendido a sentir o corpo humano, e logo descobri, que o corpo de “Menino” estava com seus ligamentos, tendões e músculos frágeis demais, para lhe dar algum suporte de ficar em pé ou mesmo gatinhar e sentar. Fui ativando a musculatura, liberando e fortalecendo suas fibras musculares, recolocando seu esqueleto no “esquadro” certo, para tentar lhe criar liberdade e independência. Não demorou “Menino” já estava mais calmo, chorava menos, dormia bem. Começou a sorrir, tentar participar do que acontecia ao seu redor, interagindo e se esforçando para fazer movimentos, que até la não tinha sequer conhecido.

     Tive o privilégio de acompanhar o tratamento, vendo e sentindo sua musculatura se fortalecer, começando a ter mobilidade, desenvolvendo força, sentando, gatinhando, e não demorou muito começou a correr. Sim, a correr. “Menino” não tinha muito tempo para andar, foi como se precisasse recuperar tudo que ainda não tinha andado e corrido em sua vida.

    Muitas vezes nos deparamos com situações em nossa vida, e temos dó, sim, misericórdia, mas não sabemos colocar nossa mão à obra, e talvez, não tocamos, nem sabemos se podemos ou não ajudar essa pessoa. É impressionante poder conhecer o corpo humano, e conhecer o lugar dos nossos ossos, músculos e tendões, liberar os nervos pinçados.

    Pude conhecer “Menino” como homem, pai de família, trabalhando e levando uma vida normal. Pude atender seu filho, que também nasceu com uma fragilidade muscular desconhecida, mas bem mais fácil de corrigir do que havia sido de seu pai.

    Conheci vários “meninos” durante o meu trabalho, que pude ajudar, sempre com a ajuda de seus pais, que me ajudaram dando o acompanhamento certo em casa.

    Lembro especialmente de um “menino” de 3 anos de idade, filho de uma família rural muito pobre. Seus pais ouviram do meu trabalho, e me trouxeram “menino” para ver o que eu poderia fazer. Moravam longe, e isso apertou meu coração; pensei, como seria o acompanhamento desta criança?

    Examinei, e ao mesmo tempo fui trabalhando em seu corpo, vendo que sua coluna vertebral estava toda torcida, sua bacia torta, uma perna mais curta que a outra. Meu coração se encheu de misericórdia, mais uma vez, e eu pedia a Deus que desse luz e ajuda, para que essa criança pudesse ter uma vida normal. Expliquei à família tudo o que eu havia compreendido, o tipo de tratamento que considerava necessário e os dispensei com coração triste, pois víamos grande dificuldade de estarem trazendo ele pra minha cidade.

     Aconteceu um milagre: Nessa mesma tarde a mãe do “Menino” me liga, quase não conseguindo falar. Foram à sede da fazenda, para telefonar, dizendo que chegaram em casa e sentaram “Menino” no gramado junto da casa. Quando se deram conta, “Menino” tinha se levantado, e estava dando seus primeiros passos, andando na grama!!! Não encontrei explicação pra isso, eu sabia que tinha usado todo meu conhecimento, e feito o melhor que podia, mas andar?? 5 horas depois do atendimento??? Com isso eu não contava. A mãe muito grata, eufórica, se despediu de mim, e nunca mais soube do “Menino”, mas creio que já deve estar casado, trabalhando e cuidando de sua família, como é o plano normal da vida.

    Muitos pais crêem que seus filhos, quando nervosos, irritadiços, inquietos, não dormem, são filhos difíceis de criar, e às vezes tomam a decisão de não terem mais filhos, porque é muito difícil ter e criar filhos.

    Não consigo acreditar que uma criança nasce com irritação. Claro, cada um de nós tem seu temperamento. Mas, porque um bebê não dorme, se estiver alimentado e limpo? Ou porque o bebê vomita após ser alimentado?

    Tenho atendido muitos bebês, crianças pequenas, e pelos problemas musculares e esqueléticos que tem apresentado, tenho certeza que estão sofrendo de dores, e que podem ser ajudados o mais rápido possível.

   Nós adultos, às vezes vivemos com muitos infortúnios em nosso corpo, incômodos, dores já crônicas, não dormindo direito, achando que tudo isso faz parte da nossa vida. Não creio que fomos criados para ter dores e sofrimentos. Eles vêm através de traumas ou disfunções, alimentação incorreta, e outras situações mais. Se o seu corpo não está sincronizado, ele vai apresentar falhas, e existe melhora para muitas situações. Você sente alívio quando toma medicamento, tem alívio e até melhoras quando faz exercícios, mas se diz: já estou acostumado com essa dor.

    A dor contínua não nos dá qualidade de vida. Ela atrapalha nosso dia a dia, nosso descanso e sono, nos deixa irritados, ansiosos e nervosos. Perdemos nossa qualidade de vida. Perdemos a alegria de viver.

   Uma pequena menina, de 9 anos de idade, se queixa continuamente de fortes dores de cabeça. Ela teve meningite com 5 anos de idade, e depois disso, sua dor de cabeça não para. Foram feitos todos exames possíveis, não se encontrando, clinicamente, causa alguma. Ela mesma, com 9 anos de idade, já estava conformada, que era consequência da meningite. Graças aos pais, que incansáveis, continuaram buscando opções de ajuda, encontraram no tratamento músculo-esquelético alívio para sua filha. Ela está com contratura muscular intensa em sua coluna cervical, sua nuca está endurecida, e não há como ter fluxo normal para oxigenar seu cérebro. Poder ajudar, liberando a causa das dores, é fantástico.

     Repito: Não fomos criados para vivermos com dores. Deve haver uma causa, que talvez possa ser resolvida.

Frieda Friesen CRT 24817

Terapeuta Holística Certificada

Terapeuta Corporal (Ajuste músculo-esquelético) Terapeuta Ortomolecular

Quiropraxia

Especializada em Coluna, ciático, torções e distensões.

DESINTOXICAÇÃO ORTOMOLECULAR

Frieda Friesen

   

   Durante meus anos de terapeuta, observei que muitas pessoas desenvolviam uma deformação óssea, p.ex. atendi a mãe que já referia artrite nas mãos, e observando as mãos da filha que começava a ter os mesmos sintomas, achei que deveria haver algo que impedisse essa progressão. Procurei por terapias alternativas, que pudessem quebrar essa sequência de problemas, e encontrei na terapia ortomolecular muitas respostas.

    Nosso corpo não pode estar ácido demais, nem alcalino demais. Precisamos estar num pH equilibrado. O que altera e sobrecarrega nosso sistema? Em geral, alimentação não útil para o meu organismo, vida sedentária, exagero em algumas coisas com meu corpo.

    Gosto de exemplificar da seguinte forma: Se, por exemplo, eu, que tenho sangue tipo A, ingiro muita carne vermelha, para a digestão do qual meu corpo não produz enzimas, eu sobrecarrego meu fígado, e na verdade todo o meu sistema. Seria como se eu entrasse todos os dias com sapatos sujos de barro na minha casa, e minha diarista ficaria o tempo todo limpando a entrada da casa. Quando como de uma forma inadequada pro meu corpo, mantenho-o em alerta contínuo, tentando “limpar” o que eu sujo.

    Meu fígado, p. ex. não tem tempo para trabalhar o resto do que comi, pois está concentrado, totalmente, por cerca de 18 horas, em me ajudar a digerir a carne vermelha, no meu exemplo. Todos os excessos não são benéficos.

    Precisamos achar um meio termo para uma vida saudável:

  • Não tome vitaminas e minerais, sem acompanhamento de um profissional. Pode nos intoxicar.

  • Tome muita água: Nosso corpo precisa de muita água (pura e limpa).

Somos cerca de 70% água. Por meio da água, os nutrientes, moléculas e demais substâncias orgânicas são transportadas pelo corpo.

  • Procure saber o que é bom para seu organismo, seu grupo sanguíneo, para manter seu corpo “limpo”.

 

 

      Eu desejo que você possa ter aprendido um pouco mais, viver bem, sentir-se bem com as minhas dicas.

     Até a próxima!

 

Frieda Friesen CRT 24817

Terapeuta Holística Certificada

Terapeuta Corporal (Ajuste músculo-esquelético) Terapeuta Ortomolecular

Quiropraxia

Especializada em Coluna, ciático, torções e distensões.

INFLUÊNCIA DE DORES NO DESEMPENHO ESCOLAR DE SEU FILHO

 

Frieda Friesen

    Talvez você tenha observado a falta de concentração e uma memória cada vez menos confiável, na sua vida ou na vida de seu filho. Hoje em dia o diagnóstico corre facilmente para um déficit de atenção e/ou hiperatividade. Obsevando o estilo de vida, cremos que nos alimentamos bem, que deveria estar tudo bem; e a criança não consegue estudar. Tudo parece pairar no ar, não sabemos certo o que fazer.

     Nosso esforço é para que nossas crianças tenham de tudo, e ela não estuda, não aprende. Chegamos a considerar preguiça, desobediência, e nada adianta. Observando o sono, percebemos que a criança, se bate muito enquanto dorme, como se não encontrasse uma posição adequada.

     Posso lhe dizer que seu filho deve estar com algum desajuste no seu corpo, algum músculo, tendão ou junta fora de sincronia. O que isso tem há ver com o desempenho escolar? Quando temos algum pinçamento, as vezes em crianças, não é nenhuma dor pontual, isso bloqueia nosso sistema nervoso para nos concentrar e captar novas mensagens. Podem estar com um cansaço muscular constante, que para, quando se agitam, aquecendo os músculos.

    Eu creio que dores também são causa, em muitos casos, de problemas emocionais e afetivos, criado por uma corrente em sequencias: por não conseguir se concentrar, não aprende, não consegue tirar boas notas, e socialmente se sente rejeitada. Saindo em busca de alternativas, na minha própria vida, que cresci com uma cifo-escoliose significativa, encontrei ajuda nas técnicas que hoje trabalho, e tenho conseguido ajudar muitas pessoas, tanto crianças e adultos. Como podemos ajudar: p.ex.:

  • Ensinando filho a sentar melhor, relaxar para dormir, e de preferência expressar-se, nos contando porque ele acha que não está conseguindo aprender direito, se tem alguma dor.

  • Ensine seu filho a respirar adequadamente, expirar longamente, relaxando assim um pouco mais, e se sentir melhor.

  • Levar nosso filho a uma avaliação de um profissional competente, para descobrir o porquê do seu problema.

       

 

 

 

 

 

 

 

     Nosso corpo precisa estar alinhado, em sincronia. Quando temos algum músculo, por ex., fora do seu lugar, todo o equilíbrio do nosso corpo é afetado, de uma ou outra forma. Não creio ser normal uma criança ter distúrbios de hiperatividade ou déficit de atenção sem ter uma causa. Gosto de tratar causas e não tanto sintomas.

    Eu desejo que você possa ter ajudado, para seu filho viver bem, sentir-se bem com as minhas dicas. Até a próxima!

 

Frieda Friesen

CRT 24817                                           Terapeuta Holística Certificada

                                                            Terapeuta Corporal (Ajuste músculo-esquelético)

                                                            Terapeuta Ortomolecular

                                                            Quiropraxia

                                                         Especializada em Coluna, ciático,torções e distensões.

ALINHAMENTO DO CORPO

Frieda Friesen

    Seu carro precisa a cada tantos mil quilômetros um alinhamento e geometria. Por quê? Para não haver desgaste dos pneus e rodas, e o carro começar a bater as peças? Certo? Não sou mecânica de carro, mas conheço muito do corpo humano para poder lhe dizer, que para não enfrentar desgastes dos seus joelhos, fêmur, ombros, p. ex., precisamos andar alinhados, retos, em conformidade com a nossa estrutura física. Muitos machucados, tombos ou acidentes, mexem com o nosso organismo e vão se acomodando “fora do lugar”, o que nos deixa, muitas vezes com dores, mas acima de tudo fora de sincronia.

     Existe ajuda? Existe sim!

    Existem maneiras e formas de realinhar seu corpo, naquilo que está fora do seu esquadro normal, ajudando seu corpo a enfrentar melhor seu futuro; com menos dores, artrites e artroses.

    Alinhamento corporal traz o posicionamento certo das articulações, ligamentos, tendões e músculos, enquanto a pessoa está de pé, sentada ou deitada. Precisa haver estabilidade com a gravidade.

    Você pode se ajudar:

  • Sentando certo: p. ex.: sem cruzar suas pernas,

sem se girar para o lado a cabeça o tronco ou os membros

sentando nas “pernas”, nas coxas e não no cóccix

  • Ficando em pé :

p.ex.: afaste um pouco um pé do outro, não fique com uma perna encolhida,

quando está parado encolha a barriga, dando suporte à sua lombar (suas cadeiras)

  • Deitando melhor:

p.ex:  não use um travesseiro mais largo que seus ombros,

ao deitar de bruços coloque um travesseiro embaixo da barriga,

deitando de costas coloque um travesseiro debaixo dos joelhos.

 

Se tiver dores ao fazer estes exemplos, você vai precisar de ajuda terapêutica. Provavelmente seu corpo já está com algum trauma, necessitando ajuda técnica.

Frieda Friesen Terapeuta Holística Certificada

CRT 24817 Terapeuta Corporal (Ajuste músculo-esquelético)
Terapeuta Ortomolecular

Quiropraxia Especializada em Coluna, ciático, torções e distensões.

MELHORANDO SUA OXIGENAÇÃO CEREBRAL

Frieda Friesen

    Não são poucos clientes que chegam ao meu consultório, que se queixam de dores da cabeça, enxaquecas, tensão “na nuca”, não conseguindo relaxar, muito menos descansar direito. Muitas vem acompanhadas de náuseas, vômitos, tonturas. Muitos já quase dependentes de analgésicos, anti-inflamatórios e sua qualidade de vida já não está boa. Se encontram em desânimo tal, que não acham mais interesse na vida, tudo parece sem graça. Inclusive crianças, as vezes, já se queixando de dor, ou muito irritadiças, nervosas, chorosas e intolerantes.

    Um bebê (até recém nascido) que muito chora, as vezes se encontra com tensão e distensão em seu pescoço. Como assim?? O próprio procedimento do parto pode trazer algum trauma.
   O que fazer? “Já fizemos de tudo, e nada ajuda...” é o que ouço. Durante os 29 anos que trabalho na área, tenho constatado, que o bloqueio de irrigação na cervical, impede que o nosso cérebro receba oxigênio suficiente. Uma queda, um acidente, um tropeçar mais forte, podem dar um “tranco”(como se diz aqui no Paraná), nos deixando travados, tensos e com fortes dores.
    Precisamos tratar disso, liberando a musculatura e realinhar nosso corpo, para melhor qualidade de vida.

Algumas dicas:
• Tome muita água, pausada e incansavelmente;
• Faça compressa fria na testa ( toalha molhada, ou até gelo)
• Massageie sua mão, pressionando o ponto entre o indicador e polegar (conforme
ilustração), por 30 segundos à um minuto. (É dolorido)

 

Eu desejo que você possa sentir-se melhor, com as minhas dicas, tendo alívio de suas dores, e
mais alegria pra viver.
Até a próxima!


Frieda Friesen Terapeuta Holística Certificada

CRT 24817 Terapeuta Corporal (Ajuste músculo-esquelético)
Terapeuta Ortomolecular

Quiropraxia Especializada em Coluna, ciático, torções e distensões.

DOR NAS COSTAS E DOR CIÁTICA

Frieda Friesen

      Nossa correria e responsabilidades muitas vezes nos fazem esquecer, que nosso corpo é uma estrutura; cheia de juntas, tendões, músculos e nervos que precisam estar em sincronia, para suportar tudo o que exigimos dela.

     Nosso corpo é a maior engenharia que possa se imaginar. A perfeição de suas funções, quando em equilíbrio, é fantástica. Geralmente, enquanto tudo está bem, nem lembramos em dar assistência ao nosso corpo, a não ser, nos alimentar, banhar e dormir; nem sempre da forma correta.

     Nos 29 anos que trabalho com reestruturação na terapia corporal percebo, que, às vezes já temos dores há um bom tempo, mas “sempre passa”. Um analgésico, alongamento (do qual geralmente lembramos quando com dores), um banho quente parecem resolver temporariamente o problema. Na verdade, não resolvem, quando há uma distensão, estiramento ou deslocamento. Quantos apresentam desgaste, não imaginando, em geral, porque houve este desgaste em suas juntas, p.ex.: joelhos, fêmur entre outras mais.
    Tenho como reconhecimento: se machuco minha perna, com uma torção, por exemplo, se ela não for recolocada no seu ângulo correto, haverá uma cicatrização errada, geralmente com um encurtamento, e em muitos casos os ossos se friccionam e com o tempo, geram o desgaste.
    Então, começamos a reconhecer o porquê estamos com dor. Se a musculatura da minha coluna está desalinhada, com certeza haverá alguma sequela posterior. O interessante, é observar como o nosso organismo tenta cicatrizar nossos machucados, criando tecidos, endurecendo fibras, para continuar sustentando nosso organismo. Só que chega um certo momento que o corpo “trava”.
   O tratamento fisioterápico especializado, ajuda na maioria dos casos, ou temporariamente. Existem terapias intervencionistas bastante efetivas para o tratamento, e poucas pessoas, na verdade, precisariam encarar uma cirurgia. Determinar e tratar a causa da dor, e não tratar somente as consequências, é necessário.
   O que podemos fazer, para ter alívio?
• Alongamentos, aulas de Pilates p. ex.
• Compressas quentes com sal são muito eficazes no alívio.
• Exercícios específicos
• Procure bom terapeuta que vá recolocar seu corpo “no esquadro”.

Eu desejo que você possa ter alívio, viver bem, sentir-se bem com as minhas dicas. 

Até a próxima! 

 

Frieda Friesen 

CRT 24817

Terapeuta Holística Certificada 

Terapeuta Corporal  (Ajuste músculo-esquelético)

Terapeuta Ortomolecular

Quiropraxia 

Especializada em coluna, ciático, torções e distensões.